Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplesmente Simples

Qua | 28.02.18

Onde Fica o Teu Eu?

28547946_1793946820636642_18655565_o.jpg

 

 

Desde sempre o Ser humano necessita de pertencer a algo, daí a origem das tribos e dos grupos, porque caminhar junto é mais lento, mas mais fácil...

 

Hoje em dia, e muito devido às redes sociais, a alimentação saudável está na moda (o que é óptimo). A questão é, em que grupo te inseres: Fit, Vegan, Vegetariano, Paleo...? 

Existe uma classificação para várias vertentes. Cada vertente pressupõe certas obrigações, se fores Fit, tens de treinar todos os dias; se fores Vegan, não podes vestir esta e aquela roupa porque têm origem animal... 

 

Há algum tempo decidi mudar o meu estilo de vida, ia comer bem e treinar, ia ser Fit! Entretanto nem sempre me apetecia treinar, havia dias em que o apetite por chocolate me fazia sair do padrão do Fit. Surgiu a primeira frustração e perda de individualidade.

Passei outra fase que nem sempre me apetecia comer carne ou peixe, então pensei: Uau, afinal sou Vegan! Mas não demorei muito a descobrir que uns dias não me apetecia carne, mas outros dias o meu corpo pedia esse alimento!

Em tudo isso acabei por me afastar daquilo que realmente sou e preciso. 

 

Quantas vezes te quiseste incluir num grupo e acabaste por te afastar daquilo que realmente gostas e és? Até que ponto sentes pressão social para te denominar A ou B? O que faz realmente bem ao teu corpo?

 

Acredito que cada pessoa é um ser individual e por isso tem as suas próprias necessidades únicas. Está tudo certo se um dia não te apetecer carne e no outro sonhares com um belo bife. O segredo é escutares o teu corpo, aprenderes e sentires o que faz sentido para ti, independentemente se as tuas necessidades te inserem nalgum grupo. Não te aprisiones ao que tem de ser naquele grupo!

Não percas a tua individualidade por querer pertencer a algo!

 

A minha proposta é que te redescubras, sem impores nomes ou obrigações. Encontra o teu equilíbrio. Se esse equilíbrio não permitir que te insiras num determinado grupo está tudo certo! Assume a tua individualidade e sê livre!

Seg | 26.02.18

Pão de Alfarroba

 

28340760_1789782131053111_1103173070_o.jpg

 

Hoje trago-vos uma receita que agrega alguns dos meus ingredientes preferidos no momento: farinha de milho e farinha de alfarroba. O resultado foi este pão da foto, que apesar de não ter o melhor aspecto o sabor estava óptimo!

 

Ingredientes:

// 120g farinha de milho

// 50g farinha de alfarroba

// 1 fio de azeite

// sal q.b.

// 1 colher de sobremesa de fermento em pó

// 1 colher de sopa de psyllium husk

// 150ml água morna

 

Preparação:

Mistura todos os ingredientes secos.

Vai adicionando a água aos poucos ao preparado anterior e mistura tudo.

Deixa a massa levedar cerca de 30min, o tempo pode variar consoante a temperatura ambiente.

Molda o pão e coloca em forno pré aquecido cerca de 30 min, ou até atingir o ponto de cozedura que mais te agradar.

 

Curiosidade: O psyllium husk é o nome dado às cascas das sementes de uma planta específica. Estas cascas são uma fonte de fibra solúvel e são comumente utilizadas

em suplementos ou dietas para aliviar a prisão de ventre, a síndrome do intestino irritável e como suplemento dietético para melhorar e manter o trânsito gastrointestinal normal.

O psyllium husk em pó encontra-se à venda em lojas de produtos naturais. Ao nível das receitas sem glúten resulta muito bem uma vez que o pó em contacto com a água forma uma espécie de goma dando consistência às receitas.

 

Simplesmente delicia-te!

Sab | 24.02.18

Pé Ante Pé

28311767_1786049014759756_1918187356_o.jpg

 

 

No início do ano tanta gente faz as suas resoluções... Perder peso, ser feliz, comer bem, fazer exercício, E porquê resoluções no início do ano? Não poderemos criar objectivos sempre que nos apeteça?

 

Porque acredito na simplicidade da nossa liberdade, venho hoje afirmar uma das minhas resoluções para 2018 e para sempre: dar um passo de cada vez!

 

Tantas vezes me desiludi e decepcionei porque coloquei objectivos e não os cumpri. Tantas e tantas vezes desisti de realizar algo porque o caminho é longo, difícil e demorado.  No entanto, surge o velho clichê, a felicidade não está na meta, mas sim no caminho... Quem não ouviu já isto?

 

Aprendi e sinto cada vez mais isso mesmo, não devemos colocar a nossa felicidade na meta, mas no percurso, como falei aqui. Mas hoje afirmo mais ainda, que o nosso sucesso depende de aprendermos a dar um passo de cada vez. Em vez de pensarmos que para atingir A, B ou C o processo vai demorar muito e vai ser difícil, vou pensar no próximo passo a dar. Questionar: posso dar esse passo? E com certeza que sim, e assim, passo a passo, vamos construindo aquilo que queremos.

 

É fácil desistir daquele sonho, porque vai demorar imenso tempo ou porque o universo te poderá colocar alguns entraves certo? Mas se pensares passo a passo tudo poderá ser mais fácil. 

 

Defino hoje esta resolução para mim e que me possa recordar sempre como um dos mantras para toda a minha vida. E tu, quais as tuas resoluções?

Sex | 23.02.18

Bloglovin

Follow my blog with Bloglovin

 

Queridos leitores é com imensa alegria que vos informo que o blog já se encontra disponível no Bloglovin! Espero facilitar e simplificar as vossas leituras :)

 

Um óptimo fim-de-semana e sejam felizes!

Sex | 23.02.18

Panquecas de Milho

28081584_1781618111869513_882403098_o.jpg

 

Na procura de cereais sem glúten para introduzir na minha alimentação surge imensas vezes o milho.

Quase todos os produtos designados “sem glúten” que se encontram nos supermercados lá surge o milho nos ingredientes.

Decidi fazer então a experiência de juntar milho a um dos alimentos que não resisto: panquecas. O resultado, pelo que se vê na foto, foi óptimo e irei certamente repetir :)

 

Ingredientes:

// 10 colheres de sopa de farinha de milho

// 2 colheres de sopa de farinha de linhaça

// 200ml bebida de arroz

// 2 ovos

 

Preparação:

Coloca todos os ingredientes na liquidificadora e bate até obter uma mistura homogénea.

Coloca pequenas quantidades numa frigideira antiaderente em lume brando até fritar de um lado.

Vira a panqueca do lado oposto até fritar.

 

Serve com o que mais gostares e delicia-te!

Qua | 21.02.18

Felicidade no Corpo

27650281_1766136716750986_1851320557_o.jpg

 

No que se resume a tua felicidade? Consideras-te uma pessoa realmente feliz? Já sentiste aquela felicidade que o próprio corpo exalta?
 
Felicidade é um sentimento que vem dentro, sente-se no corpo e vibra nas células. A verdadeira felicidade ultrapassa todos os sentidos.
 
Passei uma fase da minha vida que pensava haver algo de errado comigo, porque apesar de ter todos aqueles pré-requisitos conhecidos para a felicidade: amor, comida, trabalho; isso não me bastava. Considerava-me uma pessoa feliz (pensava eu), mas não aquela felicidade que nos enche o peito. Não foi uma fase fácil, pois colocava o "problema" em mim, como se eu fosse uma eterna insatisfeita... No entanto acabei por descobrir que a minha felicidade não se alimentava somente desses pré-requisitos pré conhecidos, e que não existe problema algum.
 
Já te sentiste uma tremenda insatisfeita porque tens tudo (família, amigos, dinheiro...) e não te sentes verdadeiramente feliz? Já te sentiste perdida na vida, porque queres ser feliz, não sabes como, e pensas que será um problema teu?
Tenho uma novidade para ti! Tu não és insatisfeita, nem está nada errado contigo!! Tu és perfeita e está tudo certo nisso! Simplesmente talvez a tua felicidade possa depender de outras coisas, coisas essas que talvez ainda nem tenhas descoberto. Mas garanto-te, quando sentires a felicidade a vibrar no corpo, vais saber quais são essas coisas.
 
É fácil dizer que se é feliz porque se tem trabalho, comida na mesa e amor, mas o difícil é admitir que só isso não nos chega. É essencial perceberes que está tudo certo contigo, que a tua felicidade precisa de mais alimento, de mais água para crescer do que amor, trabalho e comida. Orienta a bússola da tua felicidade e deixa o corpo vibrar!
Seg | 19.02.18

Panquecas de Batata Doce

27398104_1760813547283303_1632961806_o.jpg

Panquecas são uma das minhas perdições. Além de serem saciantes, são super práticas para ser transportadas e podes adicionar uma infinidade de toppings.

Estas panquecas são uma surpresa, pois a batata doce dá-lhe um sabor único. Além disso todos os seus ingredientes são saudáveis.

 

Ingredientes*:

// 200g batata doce pré cozida ou assada

// 200g farinha de arroz

// 200ml bebida de arroz

// canela a gosto

// óleo de coco para untar (podes usar azeite)

 

Preparação:

Tritura todos os ingredientes numa liquidificadora. Coloca o óleo de coco numa frigideira antiaderente e deixa aquecer bem.

Utiliza uma colher para dispor a massa na frigideira em pequenas porções. Deixa fritar até a massa ganhar consistência e vira a panqueca. Deixa fritar do outro lado e está pronta a servir.

 

*receita baseada: As Delícias de Ella 

 

Simples e saudável, delicia-te! 

Sab | 17.02.18

Abaixo as Exigências!

27746355_1766157630082228_195804269_o.jpg

 

Desde que nascemos que existe uma constante exigência sobre nós, a idade em que devemos andar, a idade em que vamos falar, mais tarde, as notas na escola, o comportamento exemplar...Exigências, saudáveis ou não, dependendo do ponto de vista, para mim só têm um resultado: exigência em nós mesmos.
 
Acabei por durante muito tempo achar que tinha de ser perfeita, ter o corpo de tal ou tal forma, ter o cabelo bonito e brilhante, ser uma grande profissional... Inúmeras exigências que coloquei em mim e me impediram de ser mais feliz.
 
Tantas vezes exigimos de nós, exigimos do outro, exigimos da vida... ao que eu respondo: SIMPLIFICA!
 
Primeiramente surge a palavra amor-próprio, de forma a te poderes aceitar e minimizar as exigências de como deverias ser, porque tu já és perfeita (mas deixe-mos o amor-próprio para outro post). Podemos abordar também que cada ser é único e sem igual, por isso não podes exigir que o outro pense da mesma forma que tu ou que preencha todos os teus pré-requisitos. Mais mais importante ainda é aprenderes a simplificar, encontrares o teu equilíbrio e mantê-lo. 
 
Nas resoluções de 2018 supondo que decidiste ter uma alimentação mais saudável e praticar exercício físico, começas a viver os teus dias em função disso. Na primeira semana corre bem, na segunda também, mas na terceira, apanhas uma constipação e ficas frustradissíma porque não consegues treinar, não te apetece cozinhar... Ao que essas resoluções em vez de serem algo prazeroso, passam a ser uma exigência, à qual caso falhes sofres. A maior resolução que podes ter é ser feliz! Portanto a exigência é uma grande inimiga, e a simplicidade a tua melhor amiga. Aprende a simplificar e relativizar! Todos nós somos seres perfeitos dentro da nossa imperfeição e somos seres únicos e especiais, portanto dá-te ao gozo de seres quem és e não exijas tanto de ti. Vive a melhor versão de ti mesma e dá o melhor, mas sem exigir, vibrando e sendo feliz na tua própria pele!
Qui | 15.02.18

Croissants Com Chocolate

27785427_1771506002880724_1168853772_o.jpg

 

A receita que vos trago hoje é uma gulodice simples, fácil, rápida e saudável! Quem não gosta de croissants que levante o dedo! Eu gosto muito, e apesar de raramente comer, às vezes bate aquela saudade do belo do croissant com chocolate.

Testei então croissants com chocolate preto, e o resultado foi melhor do que esperava :)

 

Ingredientes:

// chocolate preto 85% cacau

// massa folhada sem glúten

// 1 ovo

 

Preparação:

Divide a massa em triângulos semelhantes.

Coloca um quadrado de chocolate na parte maior do triângulo e enrola até criar a forma de croissant.

Bate o ovo e pincela-o em cada croissant.

Coloca no forno pré-aquecido até a massa ficar dourada do teu agrado.

 

Simplesmente delicia-te!

Qua | 14.02.18

É Tempo de Carnaval

28035026_1780394838658507_2080311722_o.jpg

 

Em criança sempre gostei do Carnaval, apesar do medo de certas máscaras, cheguei a participar em desfiles com toda a família e sempre representou um ambiente de festa. Não amava esta época, mas gostava o suficiente para viver e lidar bem com o Carnaval.

 

De há uns tempos para cá apercebi-me que cada vez acho menos piada ao Carnaval, arrisco-me a dizer mesmo, que não gosto desta época. Penso e repenso em qual o motivo, o porquê desta minha mudança…

 

Apontava como razão o facto da sátira tantas vezes realizada à diferença. Considerava discriminação e incentivo ao racismo em relação a pessoas diferentes, mas iguais, por ex com a comunidade gay. Vivemos numa sociedade que necessita cada vez mais de ser mais integrativa e igualitária e penso que o Carnaval muitas vezes nos conduz no sentido oposto.

 

Apesar de manter essa opinião, descobri o que neste momento me leva a desgostar tanto do Carnaval.

 

Quase contra vontade fui assistir a um desfile de Carnaval. No decurso do desfile tive um insight que me permitiu reflectir e chegar ao cerne da questão: Levo a vida demasiado a sério!!

 

Mantenho a opinião quanto à discriminação e tudo isso… Mas o Carnaval nada mais é que uma forma leve de ver a vida, brincar com o que é sério e amenizar as situações que poderão ser difíceis na vida. A forma séria como encaro a vida talvez não me permita apreciar a leveza do Carnaval. Em criança a inocência permitia-me ver e viver o Carnaval de forma completamente diferente, com a idade e circunstâncias da vida, a inocência e ingenuidade perde-se e esquecemos de que se levarmos a vida de forma leve é tão mais fácil.

 

E tu, gostas do Carnaval? Levas a vida demasiado a sério ou colocas leveza em tudo?

 

Assim sendo, a proposta é: Não levar a vida tão a sério! Colocar leveza até nos momentos que pareçam mais complicados!

Será um passo de cada vez, pode não ser fácil. Mas que a leveza seja a nossa parceira diária, e que mesmo nos momentos complicados consigamos ironizar a situação, ter uma vida mais leve, e ser mais felizes!

Pág. 1/2