Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplesmente Simples

Seg | 30.04.18

Perdão Para Que Te Quero?

30706324_1842634712434519_3796196858494189568_n.jp

 

És uma pessoa que perdoa facilmente? O que significa para ti o perdão?

Desde pequenos que os nossos pais nos incentivam a pedir desculpas e a perdoar. Mas realmente apercebo-me que, regra geral, o Ser Humano mais facilmente pede desculpas (não considerando se tal é feito no sentido literal da palavra) do que realmente perdoa. É como se gostássemos de carregar aquela mágoa por não perdoar.

E admito, perdoar nem sempre é fácil, mas é fundamental.

 

Perdoar é controverso, subentende que afirmamos o erro do outro, mas ao mesmo tempo, permite que deixemos as nossas queixas e nos livremos da dor que o erro do outro nos possa ter causado.

 

Questiono-me se a nossa dificuldade em perdoar deriva do nosso apego à dor? Identificamo-nos tanto com a dor, com o erro do outro, que libertar isso poderá causar-nos algum tipo de desorientação.

Ao perdoar não é certo que vamos esquecer o que aconteceu, e até é importante que não, porque de certeza que retirámos algo e aprendemos algo com a situação. Mas perdoar, permite libertar a nossa essência da dor, permite (re) viver com paz de espirito.

 

Podemos abordar o perdão em duas vertentes: o auto-perdão e o perdão ao outro.

Por experiencia própria, considero o auto-perdão mais importante. O perdão ao outro surge um pouco em consequência disso. Quando nos perdoamos e aceitamos que não somos seres perfeitos, o perdão ao outro acaba por ser mais fácil, porque eles são como um espelho de nós mesmos e também eles têm o direito de errar e não ser perfeitos.

 

Para mim, como Ser humano que sou, o perdão não é fácil, mas diz-me a experiência, que pode demorar e custar, mas o perdão deve ser ferramenta essencial da nossa vida e faz toda a diferença. Utilizo algumas estratégias, como esta.

 

Carregas algo em ti que não perdoas? Considera que perdoavas essa pessoa ou situação, o que isso mudaria na tua vida?

Sei que tantas vezes o outro nos magoa de tal forma, que a vontade de perdoar é nula. Mas pensa, o perdão garante a tua paz, simples e só.

Tu até podes estar verdadeiramente magoada com o outro mas o teu perdão não afecta directamente em nada o outro, portanto não deixes de perdoar porque ele agiu erradamente contigo, mas perdoa porque a tua essência merece estar livre de mágoas e brilhar.

 

Ao perdoares ninguém te está a pedir que te voltes a relacionar com o outro, até pode ser uma pessoa que já não habita a tua vida, mas garanto-te que o perdão te permitirá ser mais livre e viver sem pesos nos ombros.

 

 

Sab | 28.04.18

Bolo de Laranja

31351428_1861254227239234_2585266615054499840_n.jp

 

A receita que vos trago hoje é uma adaptação ao tradicional bolo de laranja, mas muito mais saudável e além disso sem glúten e leite. 

 

Ingredientes:

// sumo de 2 laranjas

// 4 ovos

// 1 colher de sopa de óleo de coco

// 290g de farinha de arroz

// 1 colher de sopa de psyllium husk

// 1 colher de sopa de fermento em pó

// 2 colheres de sopa de xarope de agave

 

 

Preparação:

Bate todos os ingredientes com o auxílio da batedeira até obteres uma mistura homogénea.

Coloca a massa numa forma forrada com papel vegetal e leva ao forno pré-aquecido durante aproximadamente 30/40 min.

 

Espero que gostem!

Qui | 26.04.18

Liberdade Acima de Tudo

31306929_1859283910769599_3802817911358226432_n.jp

 

A propósito do dia da liberdade… O que representa para ti a liberdade? Onde começa e acaba a tua liberdade?

 

Para mim a liberdade vai além de limites físicos.

Liberdade é saber que sou sócia maioritária da minha vida, que posso tomar decisões em função do que quero e de quem sou, mas ter consciência que também carego com as consequências dessas mesmas decisões, sejam elas boas ou más. Liberdade é saber que posso mudar e evoluir, e que posso sempre dar uma volta de 180º na minha vida se estiver insatisfeita. Liberdade é não deixar que os meus medos e crenças me limitem.

 

Consideras-te uma pessoa livre? Se não, quem é o causador da tua maior prisão?

Tantas vezes não nos consideramos livres… Mas, ao analisar, a nossa maior prisão somos nós mesmos. Garante que pelo menos no que depende de ti és realmente uma pessoa livre. Não deixes que os teus medos, fraquezas e pensamentos sombrios te limitem!

 

Talvez o conceito liberdade se altere com o tempo, com a idade e com a vida. Em tempos para mim liberdade era ter, hoje liberdade é ser. Ser quem sou sem querer agradar a ninguém, dar a minha opinião em função do que penso e não do que quero que os outros pensem. Posso dar-te um conselho? Liberta a tua essência! Descobrirás um novo conceito de liberdade!

 

Contudo, ao conceito liberdade deve vir sempre associado o conceito limite. Que contrassenso não?

Mas pensemos… Ao termos em conta a nossa liberdade temos de saber onde ela começa e termina, para não usurparmos a liberdade do outro. Liberdade não é ser e fazer tudo o que te apetece sem olhar a quem.

Considero que a minha liberdade termina onde começa a liberdade do outro! Na minha miopia, só assim a sociedade poderá ser livre e cada ser humano respeitado.

Preserva a tua liberdade, mas também a liberdade do outro, pois é tão importante e valiosa quanto a tua própria liberdade!

Qua | 25.04.18

Pão de Banana

30571718_1842008402497150_3509950211772383232_o.jp

 

Quando pesquiso receitas de pão sem glúten, o pão de banana surge com imensa frequência. Decidi experimentar e adorei! Resulta bastante bem simples, com compota ou manteiga de oleaginosas. Espero que gostem!

 

Ingredientes:

// 2 bananas maduras

// 3 ovos

// 100ml de bebida de arroz

// 2 colheres de sopa de óleo de coco

// 65g de farinha de arroz

// 45g de farinha de quinoa

// 60g de tapioca hidratada

// 1 colher de chá de canela

// ½ colher de chá gengibre em pó

// 1 colher de chá de fermento em pó

 

Preparação:

Coloca as bananas, os ovos, a bebida de arroz e o óleo de coco na liquidificadora e bate tudo até obteres uma mistura homogénea.

Mistura os restantes ingredientes e junta à mistura anterior. Mexe muito bem sem bater.

Coloca a massa numa forma forrada com papel vegetal e leva ao forno pré-aquecido durante aproximadamente 30 min.

 

Bom apetite!

 

Seg | 23.04.18

Vive o Aqui e Agora

30624569_1844009875630336_506354091325128704_n.jpg

 

Hoje debruço-me sobre um dos maiores inimigos do Ser Humano, as expectativas.

 

Quantas vezes imaginaste algo e não correu como desejavas?

Quanto do teu sofrimento se deve à não realização das coisas como imaginas?

 

Na minha vida tantas vezes criei expectativas, sobre pessoas, sobre acontecimentos, até sobre mim própria. Posso dizer que 90%, ou atrevo-me a afirmar mesmo 99%, dessas expectativas não se verificaram e alguns dos meus momentos menos felizes se devem a essa mesma decepção.

 

Sejam expectativas para o bem ou para o mal, são sempre especulações que não nos permitem viver o aqui e agora, que é a única certeza que realmente temos.

 

Questiono-me onde o Ser Humano aprendeu a criar expectativas, a esperar algo de alguém ou de algum momento?

 

Para mim não criar expectativas é um trabalho diário. Sei que esperar algo não é saudável para mim nem para o outro e por um lado o componente surpresa é muito mais engraçado!

 

Convido-vos a analisar quais as vossas expectativas, de que forma as mesmas condicionam a vossa vida, e quem sabe, possam comprometer-se a este trabalho diário convosco mesmos de viver o aqui e agora sem esperar nada.

Sex | 20.04.18

Waffles Verdes

29831213_1831202176911106_1495118469_o.jpg

 

Adoro criar novas combinações e arranjar mais formas de introduzir legumes na minha alimentação, por isso na receita de hoje trago-vos uns waffles verdes. A estrela desta receita são os espinafres.

Uma vez que a massa não leva qualquer tipo de adoçante, podem degustá-los numa versão doce ou salgada, consoante os toppings que usarem. Espero que gostem 😊

 

Ingredientes:

// 1 mão cheia de espinafres

// 3 colheres de  sopa de farinha de arroz

// 1colher de sopa de maca*

// 1 colher de sopa de psillium husk

// 2 ovos

// canela a gosto

// 400ml de água

//1 colher de café de fermento em pó

 

Preparação:

Coloca todos os ingredientes na liquidificadora e bate até obter uma mistura homogénea.

Coloca a massa por porções na máquina de waffles pré-aquecida. O tempo de cozedura varia consoante a máquina, na minha cerca de 10 minutos foi suficiente.

 

Serve com o que mais gostares e delicia-te!

 

*Curiosidade: A maca é uma raiz originária do Peru, utilizada em pó como superalimento, e é conhecida pelo aporte de energia que fornece. Na sua constituição possui uma elevada concentração de vitaminas e minerais.

Qua | 18.04.18

Usa e Abusa em Momentos de Crise

29884110_1831165010248156_2138197997_o.jpg

 

Todos nós temos momentos difíceis. Momentos em que o desânimo custa a passar, momentos em que a luz demora a surgir.

Todos nós lidamos de formas diferentes com esses momentos. Eu, por exemplo, sou uma pessoa, de signo água, ou seja, as emoções são vividas intensamente e tudo é muito profundo.

 

Hoje trago-te três questões que coloco a mim mesma nesses momentos. Estas ajudam-me a relativizar o que por vezes me parece tão grande, a amenizar o que sinto e a dar a real importância ao momento.

Podes aplicar estas questões a ti própria ou a alguém que consideres que necessite.

 

“Isso representa assim tanto na tua vida?”

Muitas vezes aumentamos a dimensão dos problemas, criamos situações maiores do que a realidade, como se costuma dizer “fazemos tempestades num copo de água”.

Assim esta pergunta traz-te de volta à real importância da situação ou momento. Pode ser que aquilo que pensavas ser difícil não seja assim tão difícil, ou não seja assim tão relevante na tua vida.

 

“Podes fazer algo para alterar a situação?”

Ao colocares esta questão perceberás que muitas vezes nós não temos a capacidade de alterar a situação, ou seja, mais vale deixares o tempo andar e tentar fluir pela situação o melhor que souberes. Não vale a pena consumires a tua energia com algo que nem tu própria podes alterar.

O segredo é entregar ao Universo e confiar que tudo irá no caminho certo.

 

“Essa situação negativa contribuiu de alguma forma positivamente para a tua vida?”

Em todas as situações existe a polaridade positiva e negativa. Tentarmos retirar o positivo mesmo nas situações mais negativas ajuda a tranquilizar a nossa mente. Como gosto de dizer “tenta olhar a vida pelos olhos do poeta” e talvez vejas sempre algo positivo, mesmo pequenino que seja, em todas as situações.

Seg | 16.04.18

Panquecas Rosa

29893535_1831181773579813_1395875579_o.jpg

 

Panquecas, panquecas e mais panquecas… Desta vez, celebrando a primavera, as panquecas são cor-de-rosa:D

A beterraba é o ingrediente principal, mas acreditem, o sabor tipicamente a terra (que eu há uns tempos nem gostava) passa despercebido, espero que gostem!

 

Ingredientes:

// ½ beterraba

// 3 colheresde  sopa de flocos de aveia sem glúten

// 3 colheres de sopa de farinha de quinoa

// 2 ovos

// 50ml de água

 

Preparação:

Coloca todos os ingredientes na liquidificadora e bate até obter uma mistura homogénea.

Coloca pequenas quantidades numa frigideira antiaderente em lume brando até fritar de um lado.

Vira a panqueca do lado oposto até fritar.

 

Serve com o que mais gostares e delicia-te!

Sex | 13.04.18

Controla a Tua Mente Antes Que a Tua Mente te Controle a Ti!

30709019_1843923085639015_6243925044339146752_n.jp

 

Que contradição! Pensarão vocês…

Como raio poderei controlar a minha mente?

 

Sei que a minha mente é forte, cria filmes e ideias, e tenho de estar atenta para não me deixar levar por ela. 

Hoje vivi uma situação que mais uma vez me recordou isso mesmo, como a nossa mente é forte e poderosa podendo mesmo chegar a controlar-nos.

 

Como sabem, trabalho na saúde, e hoje na realização de um exame a um paciente, este entrou em colapso - não encontro melhor expressão para descrever o momento.

O sr realizava um exame em que necessita de ser injetado um contraste e até aí tudo bem. A preparação do exame correu bem, dentro do previsto. 

Desde o início que o sr demonstrou alguma ansiedade, mas qualquer pessoa em questão de saúde/doença apresenta algum tipo de ansiedade.

Aparentemente seria mais um exame normal. 

 

Acontece que durante a realização do exame o sr começou a tremer, a esbracejar e com falta de ar. Pensaríamos que o sr estava a ter um ataque epilético ou que seria alguma reação alérgica ao contraste, sendo que o pessoal médico entrou em acção preparado para intervir. Contudo o que aconteceu não foi reacção ao corante nem um ataque de epilepsia, simplesmente o sr entrou num estado tal de ansiedade que teve um ataque de pânico.

Ou seja, o sr acabou por deixar que a sua mente e os seus medos falassem tão alto, que de algo relativamente simples resultou um estado de ansiedade descontrolado com sinais e sintomas físicos.  

 

Chamemos-lhe ego, diabo interno, filmes, como quiserem. Eu costumo ironizar a situação e várias vezes refiro: “pronto, lá vêm outra vez os meus macacos!” Mas o certo é que devemos aprender a escutar os nossos pensamentos.

Claro que o paciente podia praticar 1000 meditações ou até praticar mindfulness e a situação ocorrer igualmente, pois nós não controlamos tudo e nem sempre dispomos dos meios ideais para lidar com as situações. Não estou aqui para julgar a situação, mas para mim foi mais um Insight.

Devemos ter a percepção de quem nós somos e de quem são os nossos “macacos”, para que não nos tornemos nesses mesmos macacos. Por ex., posso ter medo de conduzir, mas eu não sou esse medo, posso tentar de alguma forma ter essa percepção e quem sabe contornar esse medo o melhor que poder. 

 

Não sei a fórmula mágica para controlarmos a nossa mente, nem sei se algum dia poderemos controlar tudo o que pensamos, mas penso que podemos ter uma atitude mindfull perante a nossa mente e prestar atenção a cada pensamento.

A mim ajuda-me a meditação, respiração consciente, exercício físico, cozinhar, … e tu?

 

 

Qua | 11.04.18

Bolachas de Batata Doce

 

29943368_1831204933577497_2093011158_o.jpg

 

Hoje trago-vos umas bolachas sem glúten e saudáveis, espero que gostem tanto como eu!  

 

Ingredientes:

// 385g batata doce pré cozida ou assada

// 1 colher de café de fermento em pó

// 80g de amêndoas laminadas

//2 colheres de sopa de farinha de linhaça

// 2 colheres de sobremesa de xarope de ácer

// canela a gosto

// raspas de laranja q.b.

 

Preparação:

Esmaga a batata doce. Coloca os restantes ingredientes e amassa tudo até obteres uma mistura homogénea. Molda as bolachas e coloca no forno pré-aquecido até as bolachas estarem ligeiramente douradas.

 

Simplesmente delicia-te!

Pág. 1/2