Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Simplesmente Simples

Sex | 08.03.19

Da Disney à Mulher Real

IMG_5554.JPG

Imagem: Pinterest

 

Quando era miúda uma das minhas princesas da Disney favoritas era a Mulan, a guerreira que foi à luta e à conquista, não se subjugando pela opinião dos outros. Gostava de outras princesas, mas não me identificava verdadeiramente com nenhuma. Hoje pouco recordo das histórias das restantes princesas, enquanto que as músicas da Mulan ainda vivem na minha memória.  Com o passar dos anos também a Brave e a Vaiana me trouxeram bastante identificação, mas a idade já era outra e o olhar mais desperto. Contudo, hoje, olhando para trás recordo e observo quão essas princesas poderão ser importantes na nossa vida, na vida da mulher.

O arquétipo feminino está ferido. A mulher selvagem foi domada e colocada em caixas: a mulher dona de casa, a mulher mãe de filhos, a mulher amante que tudo faz pelo seu amado... Se voltarmos às princesas, recordemos: a Cinderela, que se rebaixou perante as irmãs para não ser “desagradável”; a Bela Adormecida, que deixou adormecer todo o seu poder esperando que o tal príncipe a acordasse (como se ela não tivesse a força para acordar por si própria); a Rapunzel, que acreditou em verdades, que não a sua, que a impediram de conhecer o mundo; a Branca de Neve, que tal como a Bela Adormecida, somente com o poder de um beijo a faz acordar de um feitiço…

A mulher foi colocada em caixas, esqueceu-se que nela vibra também poder, força, coragem e capacidade de gerar a vida. A mulher é sagrada e permitindo-se colocar em caixas e categorizações deixou adormecido o seu poder. Mas sabes, não é necessário um príncipe para acordar esse poder… nós mulheres temos o poder! O poder de agir, de falar, de fazer ouvir nossa voz…  Contudo não pretendo tirar o poder aos homens, pelo contrário, todos temos o poder sob a nossa própria vida.

Não se trata de um texto feminista, trata-se de poder pessoal. Trata-se de curar feridas e sanar memórias. Trata-se de curar um arquétipo ferido e deixar viver a mulher selvagem.

Celebrando esta data e este dia, nada contra a Disney, e claro, generalizando histórias, mas apelo à reflexão de tudo isto… Apela à reflexão do que para ti significa ser mulher? Apelo, a ti homem, que reflitas sobre se colocas a mulher numa caixa ou de que forma lhe dás liberdade?

 

E assim termino me dirigindo diretamente ao teu coração Mulher:

Manda a tua princesa tirar férias e relembra o ser selvagem! Não deixes que te coloquem em caixas! Não permitas que alguém ou alguma opinião dite o que vestes, fazes ou falas. Simplesmente vive e vive-te na tua liberdade total. Há espaço para seres delicada, mas também haverá sempre espaço para seres selvagem! Tu és mais um ponto de luz no Universo e carregas no teu ventre o poder de toda a criação.

 

4 comentários

Comentar post