Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Simplesmente Simples

Sex | 29.06.18

Não-Julgamento? Vale Ouro!

36364520_1933774773320512_155822787888414720_n.jpg

 

Consideraste uma pessoa que julga com frequência?
Como te sentes quando te julgam?

 

Venho falar-te hoje de uma das atitudes inerentes ao mindfulnesss: o não julgamento.

 

Tu poderás pensar que o mundo mindfulness não é algo que te interesse, mas acredita, com ou sem uma atitude mindfulness, o não julgamento por si só pode operar uma grande mudança positiva na tua vida, se te permitires.

 

Há muito tempo que ouço e sei que o julgamento é algo prejudicial a nós e a quem nos rodeia, mas nunca fez tanto sentido como o faz neste momento da minha vida.

 

O julgamento é algo tão automático que o realizamos sem pensar e pesar o que representa na nossa vida.

Julgamos pessoas, pelas atitudes e pela forma de ser e estar; julgamos acontecimentos, como bons ou maus, como sorte ou azar; julgamos os alimentos, como saudáveis e não saudáveis…

Se atentarmos ao nosso quotidiano o julgamento está presente na maioria do nosso dia, e sem nos apercebermos a forma como vemos a vida e o mundo é totalmente filtrada pelo nosso julgamento.

 

Imagina a liberdade de não existirem dias bons ou maus! Pelo facto de um acontecimento no teu dia ser menos positivo, não significa que é um dia mau, que tenhas de julgar o teu dia.

Supõe o peso da culpa que podes eliminar se não julgares os alimentos! Se num dia comeres algo menos nutritivo não precisas de te penalizar porque era um alimento menos saudável.

Considera como a tua visão sobre as pessoas e a tua abertura ao novo e ao ser diferente se alterariam se não julgasses previamente as pessoas, se a cada comportamento não generalizasses como sendo uma pessoa boa ou má.

 

Agora pensa na energia vital que pouparias se não ocupasses a tua mente e tempo no julgamento!

 

                                                  Proponho-te:

Vive,

Celebra,

Aprende.

 

Os acontecimentos são isso mesmo, somente acontecimentos, e podes escolher o que eles representam na tua vida!

O comportamento de cada pessoa é isso e só, um comportamento!

Um alimento é só isso mesmo, um alimento!



(...)  a minha sugestão é que pares de julgar os acontecimentos como sendo positivos ou negativos. Limita-te, pelo contrário, a vivê-los, a celebrá-los e a aprender com eles. Todos os acontecimentos nos oferecem lições.

Robin Sharma

2 comentários

Comentar post