Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Simplesmente Simples

Simplesmente Simples

De Que Falam as Pessoas?

35227266_1910901352274521_110874713890226176_n.jpg

 

Tantas vezes me julguei erradamente baseada na opinião do outro. Tantas vezes chorei porque alguém proferiu algo que me magoou, sendo contra aquilo que eu pensava ser a minha pessoa. Tantas outras vezes deixei que a opinião do outro me moldasse de alguma forma, até inconscientemente.

 

Como lidas com as palavras do outro?

Como filtras a opinião alheia?

 

Toda a opinião é importante, pois com ela podemos obter feedback e poderemos através de uma visão externa a nós, mais facilmente objectivarmos o que podemos mudar para melhorar os nossos resultados. Contudo, toda a opinião pode ser construtiva ou destrutiva e depende também de nós retirarmos só o que nos interessa. Devemos então filtrar toda e qualquer opinião externa, isso é realmente fundamental.

 

Nesse intuito adoptei na minha vida um novo mantra bastante possibilitador: “As pessoas falam delas próprias.”.

Esta afirmação permite muito mais facilmente uma libertação do que eu sou e do que é a opinião alheia. E repara, as pessoas opinam consoante o que vai na sua própria cabeça e no seu próprio processo, por isso quando alguém fala logicamente fala de si próprio!  

 

Talvez inicialmente esta afirmação não te faça sentido, talvez até te questiones qual a importância e o que poderá trazer de benéfico para a tua vida. Mas lanço-te hoje mesmo o desafio, experimenta utilizar esta afirmação durante a próxima semana, presta atenção à tua forma de pensar e de que forma essa afirmação mudará algo.

 

Se fizermos sempre o mesmo caminho o resultado será sempre o mesmo, certo?

Então experimenta algo diferente e leva este mantra contigo ;)

 

 

Faz Por Ti!

34700765_1902777509753572_5485639115007328256_n.jp

 

O que já fizeste hoje por ti?

 

O que já fizeste hoje que deixou a tua alma feliz?

 

Tão importante como nutrir o corpo devemos nutrir a nossa alma.

Eu gosto de meditar, respirar fundo e conectar-me com o meu eu. E tu, o que gostas de fazer que te preenche a alma e nutre o coração?

 

Se ainda não o fizeste hoje, fá-lo! Por ti! Não porque a sociedade incute nem porque o teu marido vai ficar feliz se o fizeres, fá-lo por ti, pelo teu bem-estar e felicidade!

 

Tenta encontrar no teu dia, todos os dias, o momento ideal para isso. Não tem de ser obrigatoriamente 30min nem 1h, bastam 5/10min. Acredita que 5 min de qualidade só contigo podem fazer toda a diferença no teu dia e na tua vida! E o que são 5min dentro de 24h? E o que são 5min numa vida inteira?

 

Sim, o trabalho interno é diário. Sim, as rotinas são diárias.

Tudo se vai enraizando, mas depende de nós diariamente escolher o que queremos para nós. Não ontem, nem amanhã, mas hoje! O que podes fazer hoje para te sentir melhor?

Dia Mundial do Ambiente

34642278_1902809866417003_3405926988626526208_n.jp

 

No passado dia 5 de Junho celebrou-se o dia mundial do meio ambiente, e claro, não podia deixar passar esta data em branco.

Trago-te hoje alguns pontos que considero fundamentais para cuidares do teu jardim:

 

1-Retira todas e quaisquer ervas daninhas (pessoas tóxicas)

As ervas daninhas adoram plantar-se no teu jardim e de certa forma impedir que flores bonitas, que por ventura darão frutos, floresçam no teu jardim. Ocupa, assim, algum do teu tempo e dedica-te às ervas daninhas. Se não te permitem florescer com todo o teu esplendor não te fazem falta. Identifica-as e excluías do teu jardim. Rodeia-te de flores lindas que te permitam mostrar o teu brilho.

 

2-Rega frequentemente o teu jardim

É importante regares o teu jardim diariamente. Somente uma rega diária (actos diários) fará com que toda a cor vibre com todo o seu esplendor. Cada flor e cada árvore merece ser regada, tal como todas as relações, inclusive a tua relação contigo própria.

 

3-Contempla frequentemente a beleza do teu jardim

Dedica algum do teu tempo à contemplação do teu jardim. É importante contemplares a beleza que todo o teu jardim emana, desde a bela flor, até à erva com algum defeito. Todos fazem parte do teu jardim e todos permitem que a sua essência perdure ao longo dos tempos. Sente-te agradecida por essa beleza.

 

4-Aguarda e recebe pacientemente e com compaixão todas as épocas correspondentes às estações  

Tudo surge no tempo certo e quando o solo está previamente preparado e fértil. Assim é na vida, tudo acontece quando o tempo certo chegar. Portanto, vive e sente cada época e cada estação com a devida importância, pois todas são parte de um todo, que é a beleza do jardim e do caminho.

 

5- Fertiliza a terra

Apesar de esperares e víveres com compaixão todas as épocas, vai fertilizando a terra, para quando a época chegar todo o terreno estar preparado para o que se avizinha.

A Bola às Riscas

 

Venho hoje fazer-te duas questões, tão importantes e tão básicas:

Quem és tu? Se te descrevesses enquanto pessoa que palavras utilizarias?

 

Talvez acredites que és o teu emprego e o que fazes diariamente, talvez acredites que és o que sempre te disseram que eras, talvez sejas aquilo que gostas ou não de fazer, talvez sejas o que conquistas ou não, talvez até te definas como as tuas qualidades…

 

E se, tu fosses somente um conjunto de crenças em que escolheste acreditar? E se não fosses nada e pudesses estar tudo?

 

Era uma vez uma bola às riscas. Mas esta bola sentia-se tremendamente triste e deprimida, pois todas as outras bolas pareciam mágicas, o seu efeito era o do arco-íris, não eram simples riscas.

A bola, na sua vida triste, passava todo o tempo quieta a observar as suas amigas bolas brincar, pois elas eram tão belas que a sua contemplação era o que a distraia do facto de ela ser diferente.

Os dias passavam e a tristeza da bola era cada vez maior. Pois também ela queria ser bela como as suas amigas.

Certo dia o inesperado aconteceu, um tremor de terra fez com que tudo se move-se e as bolas rodavam e rodopiavam sem controlo do seu movimento. Nisto, a bola triste olhou de relance ao espelho, que ao tremer acabara por quebrar, e observou o seu reflexo. E só nesse momento a bola tomou consciência de que também ela era uma bola arco-íris.

 

 

E Tu, Yogas?

32313508_1875488405815816_4495586515476283392_n.jp

 

Este post não é sobre uma foto bonita, não é sobre uma paisagem deslumbrante nem uma posição de yoga esplendidamente bem realizada.

 

Apesar de realmente adorar a foto e esta representar um dia feliz, no sítio que me viu crescer, esta foto é sobre uma redescoberta acerca de mim e da vida que o yoga me tem proporcionado. 

Não pratico há imenso tempo, nem tenho toda a força e flexibilidade que gostaria na prática, mas o caminho faz-se caminhando:)

 

Retenho em mim cada vez mais a certeza de que cada dia é um dia novo e que o nosso momento nunca é o mesmo. Hoje podemos realizar certa posição do yoga impecavelmente e amanhã nada sair como gostaríamos. Assim é a vida e assim somos nós, em constante mudança.

 

Respirar é básico e automático, mas cada vez mais tenho a convicção de que a respiração consciente pode transformar a nossa energia e nos auxilia a aquietar a mente. No yoga a respiração é fundamental para nos manter focados na posição ou no exercício que estamos a praticar, além disso, uma respiração calma e prolongada ajuda-nos também a prolongar o movimento, a chegar mais longe. 

 

E sobre chegar mais longe, o yoga também tem sido uma redescoberta, digamos que, para mim funciona como um lembrete: Nós chegamos sempre mais longe do que o que a nossa mente nos faz acreditar. Criamos limites próprios e acreditamos neles, o que realmente nos impede de chegar lá. Em cada posição de yoga existe uma redescoberta de novos limites, de novas distâncias, que só são realmente possíveis deixando a mente de lado e focando na respiração

 

Por fim, mas não menos importante. Se bem que tudo é um caminho e não acredito haver realmente um fim, de certeza que a cada aula e a cada respirar virão novas aprendizagens e novos insights.

Então, o yoga relembra mais uma vez a importância da não comparação (que falei aqui) e de mantermos o foco. É “engraçado” quando estou a fazer uma certa posição e estou focada em mim, na minha respiração, tudo vai correndo bem... se por acaso olho para a colega, tiro o foco ou me comparo de alguma forma perco o equilíbrio e a posição acaba por fracassar... assim somos nós na vida. É importante estarmos focadas, não nos compararmos, mantermos o nosso equilíbrio (e aqui o yoga reforça mais uma vez a extrema importância do equilíbrio) para chegarmos aos nossos objectivos, para termos uma vida mais plena e feliz. 

 

Como tão bem diz a minha professora: “O yoga é maravilhoso.” 

Corpo de Rede Social?

32235455_1873992975965359_3669957929894674432_n.jp

 

O post de hoje surge em espécie de desabafo. Há algo que me incomoda, que não considero estar correcto (dentro do que correcto significa para mim), que penso não nos levar num bom caminho.

 

A fazer zapping pelas redes sociais dei por mim a ler as descrições de algumas pessoas. E o que me incomodou? Uma grande maioria descreve-se pelos kgs que perdeu. Sou a primeira pessoa a defender que se estamos insatisfeitos com algo devemos mudar, mas até que ponto o ser saudável, o ter um corpo perfeito está a tornar-se uma obrigação? Perdemos peso porque nos queremos sentir melhor connosco mesmos e mais saudáveis ou porque não nos enquadramos no padrão do corpo e estilo de vida saudável da sociedade?

 

Talvez as pessoas queiram inspirar outras a mudar, talvez o perder peso seja a prova de que se ela mudou tu também possas mudar. Mas a verdade é: nós vemos fotos de momentos chave, vemos refeições instagramáveis (termo tão bem usado pela urbanista). Assim, preocupa-me o exemplo que as novas gerações têm como sendo o corpo ideal e alimentação saudável. Preocupa-me que se busque inserir neste ou naquele padrão em vez de buscarmos o nosso próprio equilíbrio. Preocupa-me que sigamos exemplos de redes sociais como o tipo de pessoa que quero ser, quando tantas vezes essa pessoa e essa rede social esconde compulsões alimentares, distúrbios, depressões...

 

Será que existe realmente um corpo ideal? Quem te garante que tendo esse tal corpo vais ser mais feliz?

 

 Aprendamos a amar o nosso corpo tal como ele é! Aprendamos a comer saudável e mexer o corpo porque nos faz bem, porque nos sentimos bem assim, e não porque quero alcançar aquela barriga ou aquele músculo. 

 

A propósito disso, a falta de amor pelo corpo, há alguns dias vi um documentário que recomendo: Embrace. A moral deste é mesmo o de aceitar-mos e amarmos o nosso corpo, independentemente das suas formas, tamanho ou cor.  

 

O nosso corpo é o nosso templo e devemos amá-lo e zelá-lo com essa consciência!

 

Se não estás feliz com algo, muda. Talvez nas redes sociais até encontres a inspiração que precisas para dar aquele passo, mas nunca te esqueças que uma fotografia nunca mostra toda a realidade, não mostra se a pessoa é realmente feliz com aquele corpo ou não. Podes até alcançar o teu peso de sonho, seja para mais ou para menos, mas isso não significa que serás mais feliz. A tua felicidade está sim no amor que nutres por ti enquanto pessoa e não enquanto aparência! Abraça a tua essência e ama o teu corpo!

 

Deixa Brilhar a Tua Luz

 Bom dia! 

 

Hoje venho relembrar-vos de que nada mais somos que luz!

Não somos os nossos erros!

Não somos a história da nossa família!

Não somos os nossos medos!

 

Somos seres de luz sempre a tempo de mudar!

Que os nossos ombros só carreguem leveza e que todas as nossas células transpirem liberdade!

 

Desejo-vos uma optima semana repleta de sorrisos:D

Perdão Para Que Te Quero?

30706324_1842634712434519_3796196858494189568_n.jp

 

És uma pessoa que perdoa facilmente? O que significa para ti o perdão?

Desde pequenos que os nossos pais nos incentivam a pedir desculpas e a perdoar. Mas realmente apercebo-me que, regra geral, o Ser Humano mais facilmente pede desculpas (não considerando se tal é feito no sentido literal da palavra) do que realmente perdoa. É como se gostássemos de carregar aquela mágoa por não perdoar.

E admito, perdoar nem sempre é fácil, mas é fundamental.

 

Perdoar é controverso, subentende que afirmamos o erro do outro, mas ao mesmo tempo, permite que deixemos as nossas queixas e nos livremos da dor que o erro do outro nos possa ter causado.

 

Questiono-me se a nossa dificuldade em perdoar deriva do nosso apego à dor? Identificamo-nos tanto com a dor, com o erro do outro, que libertar isso poderá causar-nos algum tipo de desorientação.

Ao perdoar não é certo que vamos esquecer o que aconteceu, e até é importante que não, porque de certeza que retirámos algo e aprendemos algo com a situação. Mas perdoar, permite libertar a nossa essência da dor, permite (re) viver com paz de espirito.

 

Podemos abordar o perdão em duas vertentes: o auto-perdão e o perdão ao outro.

Por experiencia própria, considero o auto-perdão mais importante. O perdão ao outro surge um pouco em consequência disso. Quando nos perdoamos e aceitamos que não somos seres perfeitos, o perdão ao outro acaba por ser mais fácil, porque eles são como um espelho de nós mesmos e também eles têm o direito de errar e não ser perfeitos.

 

Para mim, como Ser humano que sou, o perdão não é fácil, mas diz-me a experiência, que pode demorar e custar, mas o perdão deve ser ferramenta essencial da nossa vida e faz toda a diferença. Utilizo algumas estratégias, como esta.

 

Carregas algo em ti que não perdoas? Considera que perdoavas essa pessoa ou situação, o que isso mudaria na tua vida?

Sei que tantas vezes o outro nos magoa de tal forma, que a vontade de perdoar é nula. Mas pensa, o perdão garante a tua paz, simples e só.

Tu até podes estar verdadeiramente magoada com o outro mas o teu perdão não afecta directamente em nada o outro, portanto não deixes de perdoar porque ele agiu erradamente contigo, mas perdoa porque a tua essência merece estar livre de mágoas e brilhar.

 

Ao perdoares ninguém te está a pedir que te voltes a relacionar com o outro, até pode ser uma pessoa que já não habita a tua vida, mas garanto-te que o perdão te permitirá ser mais livre e viver sem pesos nos ombros.

 

 

Só o Amor Eleva

Amor-próprio é um dos conceitos mais importantes para a felicidade. Por circunstâncias do tempo e da vida o amor-próprio é muitas vezes esquecido e abafado. Para mim é a vertente mais importante do amor para poderes viver em pleno e feliz. 

 

Assim começa o post que realizei para o blog da querida Sofia Mais Feliz. Convido-vos a passar por lá e deixarem-se contagiar pela sua felicidade!

 

Desejo-vos um dia muito feliz!

 

 

 

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D